30 de março de 2013

Papa Francisco saúda "amizade de irmãos muçulmanos"


Na primeira Via Sacra a que presidiu, o chefe da Igreja Católica explicou que a «Cruz de Jesus é a palavra pela qual Deus respondeu ao mal do mundo».
O papa Francisco saudou, esta sexta-feira, a «amizade de tantos dos nossos irmãos muçulmanos» e exortou os cristãos a «responderem ao mal com o bem».
Na primeira Via Sacra a que presidiu, o chefe da Igreja Católica sublinhou que não queria gastar muitas, porque a palavra da Cruz era a única que valia na noite de Sexta-feira Santa.
«A Cruz de Jesus é a palavra pela qual Deus respondeu ao mal do mundo», acrescentou o Sumo Pontífice nesta celebração que foi realizada no Coliseu de Roma.
Com a guerra da Síria em pano de fundo, os textos ao longo das 14 estações da Via Sacra que simbolizam a Paixão e a Crucificação de Cristo foram lidos por dois jovens libaneses.
 
Durante esta celebração, o papa lembrou recordou ainda a viagem do seu antecessor, Bento XVI, ao Líbano, em setembro, como um momento em que foi possível verificar a força da comunhão entre todos os cristãos e os irmãos muçulmanos.
Nota pessoal: Em certo sentido as palavras do papa Francisco, não tem objectivamente nada de singular. Tendo em conta que é bem claro no Antigo Testamento, Abraão aparecer como o grande modelo de fé: sabe escutar, discernir e encontrar a própria história a presença de Deus. a sua vida aparece retratada em Génesis, do capítulo 12 ao 25. Os judeus, os cristãos e os muçulmanos sentem-se filhos de Abraão, embora as divergências entre eles seja grandes. Já o apóstolo Paulo chama a Abraão, pai de todos os crentes (Rom. 4:11,12). Com ele, começa a história da fé, daqueles que respondem ao chamamento de Deus.
Assim, dizer “os irmãos muçulmanos.” É com certeza verdade, mas as divergências entre cristãos e muçulmanos são mais que muitas para o termo. É verdade, também as há entre os cristãos e será entre estes que se desenvolverá a profecia. Tenho defendido e começam haver claros sinais de uma aliança dentre a igreja católica romana e o islamismo religioso. É bem necessária, incontestavelmente! Sobretudo, para que a profecia de Jesus de Mateus 24:14, se cumpra. Ela vai cumprir-se e seremos não só espectadores mas protagonistas. Louvado seja o Altíssimo.
Ora vem, Senhor Jesus!
"Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: O que vencer não receberá o dano da segunda morte.
 
José Carlos Costa

29 de março de 2013

Uma Análise sobre o Papa Francisco


Esta entrevista ao padre Barthe por um jornal francês, tem seguramente, interesse para quem gosta e pretenda estar a par dos acontecimentos que se relacionam com o tempo e a profecia, daí o nosso interesse neste trabalho.
Votos que os nossos leitores possam desfrutar e terem vislubres mais adequados do futuro.
Entrevista dada ao jornal francês Présent pelo padre Barthe, ele é o capelão da Peregrinação Summorum Pontificum a Roma.
 A eleição do primeiro Papa de nome Francisco está a ser vista como uma grande mudança. É essa também a sua opinião?
- Fundamentalmente, não. Infelizmente, não. Eu quero dizer que o contexto dessa eleição é o de uma crise, sem nenhum precedente na história da Igreja, da fé, da transmissão da fé, da catequese, crise que não cessa de crescer. Ela está ligada a um desmantelamento da liturgia romana que a reflete e a acentua. Ela se propaga, além disso, por uma secularização (e um apagamento) do clero e dos religiosos, e uma perda espantosa em todo mundo do sentido do pecado, que banaliza, em resumo, a secularização do ponto de vista moral. Falava-se antigamente de crentes não praticantes. Ora, hoje, em França e num certo número de países do Ocidente, a prática tornou-se residual e, além disso, os praticantes que restam estão longe de serem todos crentes. No resto do mundo, principalmente nos países onde o número de padres é grande e mesmo crescente, a alta da heterodoxia e da ausência da formação teológica é mais que angustiante. Essa tempestade que sacode a Igreja no seio da ultramodernidade e de um mundo agressivamente secularizado reduz consideravelmente o acontecimento da eleição pontifical de 13 de Março, aliás importante. Mas a realidade maciça permanece a mesma: o barco tem rombos e recebe água por todos os lados, para citar o Papa precedente.
- Quem é o Papa Francisco?
- Ele nasceu em 1936 na Argentina, de uma família de imigrantes italianos (tem 76 anos, ou seja, em alguns meses a mesma idade que tinha João XXIII quando eleito Papa). Ele entrou nos jesuítas, foi provincial da sua ordem na Argentina, de 1973 a 1979. João Paulo II nomeou-o bispo auxiliar de Buenos Aires em 1992, depois coadjutor (com direito de sucessão) em 1997. Ele torna-se arcebispo da capital da Argentina em 1998, cardeal em 2001 e o verdadeiro chefe da Igreja da Argentina.
 
Mas, creio que a sua pergunta verte sobre o perfil eclesiástico. Formalmente é um puro produto do molde inaciano, pelo menos do molde inaciano para superiores. O novo Papa é um homem de personalidade muito forte, tendo um poderoso sentido de autoridade. Já compararam a sua personalidade com Pio XI mas, do meu ponto de vista, eu o compararia antes ao Cardeal Benelli, que dominou longo tempo a Cúria de Paulo VI.
Jesuíta muito fiel aos seus deveres, ele é um asceta, que se levanta ao nascer do dia, faz todos dias uma hora de oração. Tendo uma enorme potência de trabalho, uma memória espantosa, uma inteligência subtil, ele tem uma notável capacidade de controlo direto daquilo que ele comanda (praticamente nunca teve secretário particular). Dito isto, é mais difícil governar a Igreja universal do

27 de março de 2013

Médica brasileira pode ter matado 300 doentes internados


Directora dos cuidados intensivos de hospital de Curitiba suspeita de provocar morte de pacientes por asfixia, com o objectivo de libertar camas. Há sete casos confirmados, mas investigadores dizem que há dezenas de outras mortes suspeitas
 
Uma médica brasileira detida em Fevereiro e acusada de ter matado sete pacientes internados nos cuidados intensivos de um hospital de Curitiba, no estado do Paraná, poderá ser responsável por até 300 mortes suspeitas ocorridas naquele serviço. Virgínia Helena de Souza, entretanto posta em liberdade, pode vir assim a ser acusada por um dos maiores casos de homicídio em série de que há memória.
 
A médica, directora da unidade de cuidados intensivos do Hospital Universitário Evangélico de Curitiba desde 2006, é suspeita de, em colaboração com outros funcionários daquela unidade, administrar doses elevadas de medicamentos que causam paralisia muscular a pacientes ligados a ventiladores, reduzindo em seguida os níveis de oxigénio, o que acabava por provocar a morte por asfixia. Segundo o despacho de pronúncia, citado pelo jornal O Globo, os profissionais de saúde assassinaram os doentes com o objectivo de libertar camas, agindo “como se tivessem o poder de decretar quais os pacientes que teriam o direito a permanecer vivos no centro médico”.
 
Detida a 19 de Fevereiro, a médica foi libertada sob caução na semana passada já depois de ter sido acusada por sete homicídios qualificados, pelos quais foram imputados outros três médicos, três enfermeiras e um fisioterapeuta. Mas já no domingo, o auditor do Ministério da Saúde que está a rever os ficheiros clínicos de 1700 pacientes que passaram pela unidade nos últimos sete anos disse à TV Globo que há outros 20 casos suspeitos e outros 300 estão ainda a ser investigados. “Têm todos o mesmo modus operandi”, disse Mário Lobato ao programa Fantástico, revelando ainda que nem todos os doentes estavam dependentes de suporte artificial de vida e que em alguns dos casos estavam acordados e conscientes pouco antes da morte. 
 
Virgínia Helena de Souza nega as acusações, dizendo que todos os procedimentos descritos pelo Ministério Público são medicamente justificáveis. A polícia revelou, no entanto, escutas telefónicas em que a médica instrui outros profissionais da unidade a desligar os suportes de vida. “Pelo amor de Deus, têm alguns doentes que estão mortos, então, vai desligando as coisas que não têm sentido”, diz, numa gravação, citada pela revista Veja, datada de Janeiro em que é citado o nome de um dos pacientes que viria a morrer entretanto.
 
A confirmarem-se as piores suspeitas da acusação, a médica brasileira superaria o macabro recorde de Harold Shipman, o clínico britânico que foi condenado em 2004 pela morte de 15 pacientes mas que, ao longo de toda a sua vida terá sido responsável por 215 mortes suspeitas – o mais grave caso de homicídio em série de que há registo no mundo, recorda o jornal britânico Independent.
Nota Pessoal: Bom, este procedimento contextualiza-se com o mundo desumano em que vivemos. Ressalvando, todo e qualquer julgamento subjectivo. Tendo só em conta o que a notícia relata apetece fazer a seguinte reflexão. Se nos afastarmos de todos os valores, de tudo o que tem significado muito diferente para os cidadãos do terceiro mundo – aquilo que temos visto na última década em que vale tudo para ter o poder – guerras, chacinas, fomes e muito mais para que alguns vendam armas. Sim, foi no Médio Oriente e uma boa parte da África mergulhou no sangue.
O Brasil! Um hospital! Há pouco tempo foi numa discoteca fecha-se as portas onde estão jovens consequentemente dezenas de jovens perdem a vida. Para onde vamos? Na Argélia ou na Guatemala, sair dali pode significar arriscar a própria vida num barco de pesca sobrecarregado ou nas traseiras seladas de um camião de transporte para entrar ilegalmente na Europa, ou na América do Norte, em busca da promessa de uma vida melhor.
Lenin disse uma vez que as pessoas votam com os pés, e um novo mundo parado terá um efeito duradouro nas migrações globais. Não só as barreiras caíram para a deslocação de bens, como também para a deslocação de pessoas. Sejam estas de um país para o outro, seja dentro de um hospital para a morgue.
Por detrás disto, queira Deus que assim não seja, mas tudo o indica, está o vil metal, o dinheiro. As pessoas para ganhar dinheiro não olham a meios. Lamentavelmente!
Profecia: "Sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons,"  (II Timóteo 3 : 3). “…sem amor para com os doentes.”
José Carlos Costa

26 de março de 2013

«Se você é o Papa, eu sou Napoleão»



Ao tentar contactar Adolfo Nicolas, o superior geral dos jesuítas, o novo Papa foi surpreendido com a desconfiança de um rececionista do Vaticano. Aparentemente, o homem não acreditou que quem estava ao telefone era Francisco e respondeu-lhe: «então eu sou Napoleão».
Apesar de Francisco se ter apresentado, o rececionista chamado Andreas, julgou ser uma brincadeira. Segundo o jornal «DailyMail», o Pontífice demonstrou grande paciência para lidar com o assistente desconfiado e conseguiu convencê-lo de que realmente era ele ao telefone.
 
«Sou mesmo o Papa Francisco. Não te preocupes, Andreas, liga-me só ao superior geral, para lhe agradecer pela carta encantadora», disse o Papa.
Andreas terá ficado preocupado com a situação e pediu imediatamente desculpas. Um dos especialistas do Vaticano explicou que «nenhum outro Papa teria pegado no telefone para fazer as suas chamadas. Normalmente, um oficial liga a uma secretária que estabelece a chamada».
Nota pessoal: Será possível? Estou à espera que este papa mude, não quer viver no palácio papal, telefone ao vendedor da Argentina a cancelar o jornal. Beija crianças, velhos e paralíticos!
Será esta uma estratégia nova? Será esta a forma de conquistar o mundo de forma que “os reis da terra” se curvem perante uma autoridade inesperada? Não sei. A verdade é que este homem é admirável como pessoa.

José Carlos Costa

25 de março de 2013

Tudo o que eles não querem que você saiba....


Quem lucrou com o fim do mundo?


fim do mundo, resultados
O fim do mundo ficou para trás. Agora, há todas as razões para fazer o balanço do evento. A quem aproveitou a ideia do apocalipse? É sabido que um em cada dez habitantes da Terra acreditava que o mundo iria acabar em 21 de dezembro de 2012. Certos empresários souberam aproveitar-se destes receios e obter bons lucros.
Os especialistas afirmam que os mais beneficiados com a ideia do fim do mundo foram as agências de viagem, a mídia, as agências de publicidade e os pequenos empresários. O México e El Salvador chegaram a assinar um acordo especial sobre a divulgação da ideia do fim do mundo. Em resultado disso, a terra natal da civilização maia recebeu neste ano quase três vezes mais turistas do que antes. Muitas companhias vendiam atrevidamente somente passagens de ida. Portanto, o tema de apocalipse virou para muitos empresários uma espécie de “boia de salvação”,- explica o consultor político Anatoli Vasserman.
"A teoria do fim do mundo proporciona vantagens em primeiro aos que atuam de acordo com o antigo ditado: quanto mais turva é a água, tanto mais peixe se pode pescar nela. É sabido que os boatos sobre o fim do mundo existiram desde sempre. Há muitos séculos, no ano 1000 d.C. também se dizia que o mundo iria acabar. Nessa época, um grande número de comerciantes ganhou muito dinheiro adquirindo a preço de banana tudo que as pessoas que acreditavam no próximo fim do mundo resolveram vender a fim de aproveitar os últimos dias para se divertirem."
Este ano, o segundo maior beneficiado com o fim do mundo foi o setor de construção civil. Nos

23 de março de 2013

O brasão e o Lema do papa Francisco

A Santa Sé divulgou na manhã desta segunda-feira, 18, o brasão do Papa Francisco. O símbolo possui a mensagem “Miserando atque eligendo” que significa “Com misericórdia, o elegeu”.

Nos traços, essenciais, o Papa Francisco decidiu manter o seu brasão anterior, escolhido desde a sua consagração episcopal e caracterizado por uma simples linearidade.
O escudo azul é coberto por símbolos da dignidade pontifícia, iguais aqueles de Bento XVI (mitra posicionada entre chaves de ouro e prata entrecruzadas, unidas por um cordão vermelho). No alto, está o emblema da ordem de proveniência do Papa, a Companhia de Jesus: um sol radiante e flamejante carregado com as letras, em vermelho, IHS, monograma de Cristo. A letra H é coberta por uma cruz em ponta e três pregos em preto.
Abaixo encontram-se a estrela e a flor de nardo (cacho de uva). A estrela, de acordo com a antiga tradição aráldica, simboliza a Virgem Maria, mãe de Cristo e da Igreja; enquanto a flor de nardo (cacho de uva) indica São José, patrono da Igreja.
Na tradição da iconografia hispânica, de fato, São José é representado com um ramo de nardo nas mãos. Colocando no seu escudo tais imagens, o Papa pretendeu exprimir a própria particular devoção à Virgem Santíssima e a São José.
O lema
O lema do Santo Padre Francisco é tirado das Homilias de São Beda, O Venerável, o sacerdote, (Om. 21; CCL 122, 149-151), que comentando o episódio evangélico da vocação de São Mateus escreve: “Viu Jesus um cobrador de impostos e como o olhou com sentimentos de amor e escolheu-o, disse-lhe: Segue-me”
Esta homilia é um tributo à misericórdia divina e é reproduzida na Liturgia das Horas da festa de São Mateus. Essa reveste um significado particular na vida e no itinerário espiritual do Papa. Na verdade, na festa de São Mateus do ano 1953, o jovem Jorge Mario Bergoglio experimentou, aos 17 anos de idade, de modo muito particular, a presença amorosa de Deus na sua vida. Em seguida de uma confissão, sentiu tocar o coração e a descida da misericórdia de Deus, que com olhar de terno amor, chamava-o à vida religiosa, sob o exemplo de Santo Inácio de Loyola.
Uma vez eleito Bispo, Dom Bergoglio, em memória de tal acontecimento que marcou o início da sua total consagração a Deus na sua Igreja, decide escolher, como lema e programa de vida, a expressão de São Beda “miserando atque eligendo”, que procurou reproduzir também no próprio brasão pontifício.
Fonte: Vaticano

Nota Pessoal: Aqui temos a tradução do significado do Brasão do papa Francisco. O papa que tem encantado o mundo, o papa que fala repetidamente da "misericordia" e que tem tido gestos correspondentes. Quem não se lembra da atitude do papa de descer do carrro e ir abraçar um homem paralítico? E tantos getos do mesmo género!
A palavra "misericórdia" vem do latim (mis + cor, cordis) - e significa um coração que compadece, que vibra ou se comove com a necessidade do outro... Tendo presente no pensamento  bíblico o "coração" é o centro da pessoa, naturalmente, quer no Antigo quer no Novo Testamento, encontramos permanentementes referências a pessoas, situações e gestos de misericórdia e também de falta dela ... Basta lembrar a misericórdia de David para com Saul ou a parábola  do pai do filho pródigo (Luc. 15:11-32) ou do bom samaritano (Luc. 10: 25-37)... Encontramos em S. Lucas, o evangelista que mais sublinha o traço de misericórdia, dirigido não apenas aos apóstolos, mas a todos nós, os discípulos, encontramos Jesus, dizendo: "Sede misericordiosos como vosso Pai celeste é misericordioso" (Luc. 6:36).
Foi isto que me chocou ao ler toda a simbologia do seu Brasão não haver uma única referência a Cristo! Ainda por cima sendo ele da ordem de Jesus. Porque será? Veremos em breve, seguramente.
José Carlos Costa

22 de março de 2013

"Israel Está Pronto a Erigir o 3º TEMPLO"

 

Abdul Salam Abadi, ministro jordano para as dotações islâmicas, afirmou que Israel quer repartir o Monte do Templo em Jerusalém.
O ministro acusou publicamente Israel nesta passada quarta-feira de querer dividir o recinto da praça do Monte do Templo, actualmente conspurcado pelo Domo da Rocha e mesquita de Al-Aqsa, para erigir ali o seu Terceiro Templo.
Segundo a comunicação social jordana, o ministro para as dotações islâmicas partilhou com uma delegação de clérigos australianos de visita à Jordânia "ter recebido instruções da liderança hashemita" para salvaguardar a identidade árabe e muçulmana de Jerusalém.
DOMO DA ROCHA
Abadi disse que Israel estava planeando separar a mesquita dos seus pátios com uma estrutura de 144 dunam.
A Jordânia, que estendeu a sua soberania a Jerusalém oriental e à Margem Ocidental em 1950, continua a administrar os lugares sagrados islâmicos no Monte do Templo. Abadi referiu à delegação australiana que o seu ministério emprega 600 funcionários civis em Jerusalém e supervisiona 40 escolas em Jerusalém.
Segundo o diário jordano independente "Al-Ghad", Abadi vincou a necessidade de apoiar os residentes de Jerusalém "na sua perseverança face aos repetidos ataques israelitas à sagrada mesquita de Al-Aqsa e aos lugares sagrados islâmicos em Jerusalém."
Só que o ministro não especificou ao que é que se refere de facto...
Israel assinou um acordo de paz com a Jordânia em 1994.
O departamento jordano para as dotações islâmicas, conhecido como "Waqf", que administra a praça que rodeia a mesquita de Al-Aqsa e o Domo da Rocha, proíbe os judeus de orarem no Monte do Templo, onde outrora se ergueram os 2 grandes Templos judaicos de Jerusalém.
Nota Pessoal: Já o tenho dito e repito, este é o grande plano de Israel. Este foi o grande objetivo dos israelitas formarem um Estado. Eles está persuadidos que esta é a vontade de
Deus e não desistirão. Não é vão que Barack Obama ali está!  Este é um dos principais Rumores do Fim.
José Carlos Costa

Tempestade com 'ovos' de gelo causa devastação na China

Pedras de gelo do tamanho de ovos (à esquerda), ventos fortes e tempestades devastam Sul da China


  •  
    Pedras de gelo do tamanho de ovos (à esquerda), ventos fortes e tempestades devastam Sul da China
Pedras de gelo do tamanho de ovos, chuvas torrenciais e ventos de até 177 quilômetros por hora vêm provocando devastação em 5 províncias do sul da China desde a terça-feira. A tempestade provocou a morte de pelo menos 24 pessoas até a tarde desta quinta-feira (21).
Na última quarta-feira (20), uma balsa virou em um rio na Província de Fujian, matando 11 pessoas e deixando outras quatro desaparecidas.

Aproximadamente 215 mil pessoas foram retiradas de suas residências e o prejuízo está estimado em US$ 418 milhões (cerca de R$ 839,15 milhões).
As autoridades chinesas alertaram a população da região Sul do país para se prepararem para mais tempestades. A previsão é de que o mau tempo continue até domingo (24).

Ampliar


China enfrenta níveis perigosos de poluição 26 fotos

Prédios do centro econômico de Pequim, na China, ficam cobertos pela densa nuvem de poluição que atinge a capital nesta segunda-feira (14) Leia mais Wang Zhao/AFP

Notas a Considerar: "Quando virdes todas estas coisas, sabei que Ele está próximo às portas." Mat. 24:3 e 33.
“Tudo no mundo está em agitação. Os sinais dos tempos são cheios de sinais. Os acontecimentos por vir projetam sua sombra diante de si. O Espírito de Deus está sendo retirado da Terra, e calamidade segue-se a calamidade em terra e mar. Há tempestades, terremotos, incêndios, inundações, homicídios de toda espécie. Quem pode ler o futuro? Onde está a segurança? Não há certeza em coisa alguma humana ou terrena. Os homens se estão rapidamente enfileirando sob a bandeira de sua escolha. Aguardam desassossegadamente os movimentos de seus chefes. Há os que estão esperando, vigiando e trabalhando pela vinda de nosso Senhor. Outra classe cerra fileiras sob a chefia do primeiro e grande apóstata. Poucos crêem de alma e coração que temos um inferno a evitar e um Céu a alcançar.”
MARANATA, O SENHOR VEM, MM 1977, p. 33

Vivemos no tempo do fim. Os sinais dos tempos, a cumprirem-se rapidamente, declaram que a vinda de Cristo está próxima, às portas. Os dias em que vivemos são solenes e importantes. O Espírito de Deus está, gradual mas seguramente, sendo retirado da Terra. Pragas e juízos estão já caindo sobre os desprezadores da graça de Deus. As calamidades em terra e mar, as condições sociais agitadas, os rumores de guerra, são portentosos. Prenunciam a proximidade de acontecimentos da maior importância.”
Beneficência Social, p. 134

José Carlos Costa
 
 

20 de março de 2013

O Cristianismo em Extinção no Médio Oriente

Um novo estudo evidencia que o cristianismo corre o risco de desaparecer nas terras bíblicas do Médio Oriente. Segundo o diário britânico "London Daily Telegraph", que menciona o estudo, 10% dos cristãos no mundo - cerca de 200 milhões - "sofrem desvantagens sociais, perseguições ou opressão activa por causa das suas crenças."

Com mais de 2,3 biliões de cristãos em todo o mundo, o estudo demonstra que é exactamente nos lugares onde o cristianismo teve a sua origem - o Médio Oriente - que os cristãos estão a sofrer as maiores perseguições.
"O ritmo dessas investidas anti-cristãs está agora a intensificar-se com o despertar do islamismo militante em países como o Egipto, o Iraque, e agora com a guerra civil na Síria," - afirma o artigo sob o título "Christianophobia".
Publicado por um conceituado editor e pensador britânico independente, Civitas, o relatório afirma que os políticos e os meios de comunicação ocidentais ignoram geralmente a perseguição generalizada aos cristãos no Médio Oriente e em outras partes do mundo "por terem medo de serem acusados de racismo."

PASTOR YOUCEF NOVAMENTE PRESO
No próprio dia de Natal, o Irão prendeu pela segunda vez o pastor iraniano Youcef Nadarkhani, de 35 anos, que tinha estado anteriormente preso durante 3 anos pelo "crime" da prática do cristianismo e por ter rejeitado que fosse dada uma formação islâmica aos seus filhos, ainda crianças. Segundo a Fox News, o seu advogado foi também preso.

PERSEGUIÇÃO NO MUNDO ISLÂMICO
O estudo indica que mais do que qualquer outro grupo religioso, o cristianismo é o mais propenso a ser perseguido ou a sofrer descriminações, estando particularmente em risco "nas sociedades dominadas pelo islão."
"A opressão é ampliada através do anti-americanismo e pela falsa crença de que o cristianismo é um credo ocidental, apesar de ter originado no Médio Oriente e e ter feito parte do sistema de crenças dessa região ao longo de 2 mil anos," - refere o estudo escrito pelo jornalista Rupert Shortt, que é também o editor de assuntos religiosos no suplemento "Times Literary."
O autor refere que entre metade a três quartas partes do número de cristãos deixaram o Médio Oriente ou foram mortos no último século. No início do século 20, os cristãos compunham cerca de 20% da população de todo o Médio Oriente, enquanto que hoje o número não passa dos 5%.

ISRAEL É A EXCEPÇÃO
Uma região onde a população cristã floresce é Israel. Segundo o Centro de Estatísticas de Israel (CBS), existem 158.000 cristãos a viver em Israel, representando 2% da população. Cerca de 80% dos cristãos em Israel são árabes, residindo maioritariamente nas regiões a norte do país, sendo os restantes imigrantes oriundos da ex-União Soviética.
Cerca de 3,5 milhões de cristãos visitaram Israel durante o ano de 2012, um aumento de 4% em comparação ao ano anterior.

19 de março de 2013

Porque Renuncio Benedicto XVI? Daniel Estulin supo la Verdad.(English subtitles



Importantes Autoridades Católicas afirmam SATANISMO dentro da ICR


Se Malachi Martin fosse a única autoridade dentro da ICR a fazer essas acusações, poderíamos considerá-las fruto de uma frustração religiosa, e até arquivar o assunto. Contudo, nos idos de 1976, o próprio papa Paulo VI afirmou, numa reunião de prelados, que “A fumaça de Satanás penetrou no Santuário da Catedral de São Pedro”, e prosseguiu dizendo que “havia sido informado de que ali eram rezadas missas negras, exatamente no lugar onde o papa celebrava as santas missas.”
Diante de milhares de assistentes ao Congresso Internacional de Fátima, no Ano 2000, o Arcebispo Milingo, exorcista e autor do bestseller “Face to Face With the Devil” (Cara a Cara com o Diabo), disse que a adoração a Satanás dentro da ICR é “a terceira dimensão do mal, sendo ela a mais perigosa de todas, porque é sútil e por demais tenebrosa”. Ele disse que “mal pôde acreditar, quando descobriu a existência dessa 'terceira dimensão' dentro da ICR, porém não era de estranhar, considerando que Judas Iscariotes fazia parte do grupo dos Doze!” ,
Em João 6:70, Jesus afirma que Judas “é um diabo”. Em João 13:27, lemos que, após receber o pão das mãos de Jesus, “entrou nele [Judas] Satanás”. Isso mostra como os que parecem estar mais próximos de Jesus podem ser verdadeiros ministros de Satanás.
Milingo lamenta que o Diabo esteja recebendo proteção dentro da ICR, como se fosse um animal de estimação, e que os exorcistas até tenham sido proibidos de exercer suas funções dentro da mesma. E afirma que, certamente, existem padres e bispos transformados em seguidores de Satanás.
No livro “The Spirit of Roman Catholicism”, por mim traduzido, a ex-freira Mary Ann Collins, no extenso capítulo 12, apresenta a inacreditável revelação de que muitos padres e freiras ligados à Ordem Jesuíta estão praticando o mais agressivo ocultismo da Nova Era, com toda a imoralidade daí resultante.
Lúcifer
O catolicismo americano se aliou à Franco-Maçonaria nos USA, de tal modo que a esta organização se filiaram centenas de padres e bispos católicos. Em 1980, o poderoso Cardeal Terrance Cooke, de Nova York, discursou para uma assembléia de 3.000 maçons, usando palavras assim: “Conheço a vossa firme crença num Ser Supremo, o Grande Arquiteto do Universo, e os grandes escritos sagrados, entregues aos membros da vossa religião. Eu vos saúdo pela lealdade e zelo dedicado a esses valores antigos”. As palavras do Cardeal Cooke foram cuidadosamente calculadas, sabendo ele a real significação das mesmas.
Para quem não sabe, o “Grande Arquiteto do Universo” não é outro senão Lúcifer, o qual se disfarça, na literatura maçónica, sob os nomes de Zoroastro, Shiva, Abadom e outros deuses do paganismo. Quanto aos “escritos sagrados” da Franco-Maçonaria, todos eles provêm da religião da antiga Roma, todos eles copiados da religião egípcia e babilónica.
O satanismo tem se tornado uma prática normal nas falsas igrejas evangélicas, como a dos mórmons, segundo informação do "Bible Baptist Ministries", em 10/06/2000. Há alguns anos, líderes do mormonismo admitiram que rituais satânicos têm sido praticados por alguns “elderes” dessa “igreja”. O mesmo tem acontecido, também, em algumas igrejas metodistas e pentecostais, onde o satanismo já é praticado, principalmente entre os episcopais e luteranos.
Ao contrário da crença protestante, o Diabo não é apenas “católico”. De fato, ele é totalmente ecuménico e se agrega a qualquer falsa religião ou seita, pois é um ser interdenominacional. Para ele qualquer religião ou crença é boa, contanto que não se apóie com exclusividade no Senhor Jesus Cristo e na Bíblia King James, que no Brasil é a “FIEL”, da Trinitariana.
Contudo, essa penetração do satanismo nas igrejas “protestantes” não nos surpreende, desde que essas igrejas deixaram de protestar contra o erro. A profecia bíblica já nos havia alertado contra a chamada “operação do erro” (2 Tessalonicenses 2:11-12), na qual iriam mergulhar muitos dos que não se apegassem à VERDADE – Jesus Cristo (João 14:6) e Sua Santa Palavra (João 17:17) – preferindo se engajar na operação do erro doutrinário.
O Arcebispo Emmanuel Milingo, é um exorcista e autor do livro, Face to Face With the Devil (Face a face com o Diabo). Nesta história, descreve vividamente uma cerimónia chamada "A Entronização do Arcanjo Caído Lúcifer" supostamente realizada na Capela de St. Paul, no Vaticano, mas relacionados com ritos satânicos concorrentes aqui em os EUA, em 29 de junho de 1963, apenas uma semana após a eleição de Paulo VI:
"De repente, tornou-se indiscutível que agora, durante este papado, a Igreja Católica Romana tinha no seu seio uma organização permanente de clérigos que adoravam Satanás e pasmem: bispos e padres que sodomizavam meninos e uns aos outros;  freiras que realizaram os" Ritos negros "da Wicca , e que viviam em relações lésbicas ... todos os dias, incluindo domingos e dias santos, atos de heresia e blasfémia e ultraje e indiferença foram cometidos e permitidos em altares sagrados por homens que tinham sido chamados para serem sacerdotes. Ações sacrílegas e ritos não só foram realizados em altares de Cristo, mas teve a conivência ou, pelo menos, a permissão tácita de certos cardeais, arcebispos e bispos. . . No total eram uma minoria qualquer coisa dez por cento do pessoal da Igreja. Mas dessa minoria, muitos ocupam posições surpreendentemente altas ou até impossível de  classificar. Os fatos que levaram o Papa a um novo nível de sofrimento foram principalmente dois: A organização sistemática links-rede, em outras palavras que haviam sido estabelecidas entre certos grupos homossexuais do clero e dos conciliábulos satânicos (s.m. Reunião secreta de pessoas suspeitas de maus desígnios. Conversação mais ou menos secreta e suspeita; conluio). E o poder desmedido e influência dessa rede. "(Windswept, pp 492-3)
Segundo o The New American, Martin confirmou que a cerimónia de fato ocorreu como ele descreveu. "Oh sim, é verdade; tudo isso", informou a revista. Disse ele: "Mas a única maneira que eu poderia colocar isso para fora de impressão está em forma romanesca." Ele disse que os membros do clero todos eram conscientes da situação, e que o arcebispo Milingo foi "apenas como que o ator na Rede filme, que se cansou e disse: 'Eu não vou aguentar mais."

 

José Carlos Costa

17 de março de 2013

A História da Renúncia de Bento XVI

Compreenda melhor a teia em que se movem as aranhas no Vaticano. Ambição, Poder, Traição, Finanças...Estratégias.
Se você é um fiel seguidor de Jesus Cristo, saiba que mais tarde ou mais cedo eles lhe baterão à porta.
Os especialistas em assuntos do Vaticano afirmam que o Papa Bento XVI decidiu renunciar em março passado, depois de regressar da sua viagem ao México e a Cuba. Naquele momento, o papa, que encarna o que o diretor da École Pratique des Hautes Études de Paris (Sorbonne), Philippe Portier, chama “uma continuidade pesada” do seu predecessor, João Paulo II, descobriu num comunicado elaborado por um grupo de cardeais os abismos nada espirituais nos quais a igreja havia caído: corrupção, finanças obscuras, guerras fratricidas pelo poder, roubo massivo de documentos secretos, luta entre fações, lavagem de dinheiro. O Vaticano era um ninho de hienas enlouquecidas,

16 de março de 2013

Cristãos perseguidos: Ocidente entre indiferença e cumplicidade

"Os cristãos perseguidos no mundo: entre indiferença e cumplicidade"

Autor de um livro muito interessante, Por que se matam cristãos no mundo de hoje? A nova cristianofobia, prefácio por Denis Tillinac (Éditions Maxima, 2011), Alexandre del Valle, especialista em geopolítica e relações internacionais, publicou em 24 de dezembro um longo estudo no blogue Atlantico, intitulado “Os cristãos perseguidos no mundo: entre indiferença e cumplicidade” Aqui está ele. Merece ser lido.
Todos os anos, na véspera de Natal, enquanto os europeus vivem a comemoração do nascimento de Cristo como uma festa alegre, os cristãos que vivem onde o cristianismo é perseguido vão à missa da meia-noite com medo. A cada ano, de fato, os cristãos nesses países são atacados na frente de suas igrejas. A mensagem de seus torturadores é clara: para estar seguro, deve-se partir ou deixar de ser cristão.
O número de cristãos perseguidos em todo o mundo varia entre 100 e 150 milhões de pessoas. Este número em constante aumento tornou o cristianismo a religião mais perseguida. De acordo com a Portas Abertas, “um cristão morre a cada cinco minutos.” E, como explicou Marc Fromager, diretor da Ajuda à Igreja que Sofre (AIS), “nos 131 países de cultura cristã, não há nenhum em que a legislação sobre a liberdade religiosa deixe a desejar. De 49 países de cultura muçulmana, 17 não toleram qualquer outra religião e controlam rigidamente crentes não muçulmanos, 19 reconhecem teoricamente a liberdade religiosa, mas não a aplicam na prática. Os cristãos são o grupo religioso mais discriminado no mundo:. 75% dos casos de violações à liberdade religiosa dizem respeito a eles. “
E o pior nessa cristianofobia mundial é a indiferença que a rodeia. Certamente, os ataques contra os cristãos no Iraque e no Egito em 2010-2011 reivindicados pela Al-Qaeda foram bastante midiatizados. Mas os numerosos casos de “cristianofobia comum”, cometidos em nome da legislação em vigor ou com a cumplicidade das autoridades, são ignorados. Isso se explica pelo fato de que os mitos fundadores do politicamente correto e “política de apaziguamento” impedem de apontar os carrascos.
Pyongyang, 26 de julho de 2009. O regime norte coreano executou em público uma mulher acusada de distribuir Bíblias. Fonte: AFP apud Apic
Em virtude do primeiro mito, que faz do comunismo a ideologia igualitária dos “oprimidos”, é impossível dizer que os regimes marxistas de ontem (ex-URSS) e de hoje (China, Coréia do Norte, etc .) são os mais terríveis perseguidores dos cristãos, os quais são para eles “agentes do Ocidente capitalista.” Lembremos àqueles que pensam que o comunismo está “morto”, com a queda da ex-URSS, que a China e a Coreia do Norte comunistas são os maiores assassinos de cristãos. Na Coréia do Norte, eles podem ser mortos apenas por causa de sua fé. Na China, a evangelização é punível com penas de prisão e os cristãos, suspeitos de serem “revolucionários”, só podem aderir às pseudo igrejas controladas pelo Partido Comunista. Um fato, entre tantos outros, em 25 de dezembro passado, quando os membros da igreja protestante Shouwang queriam celebrar sua missa, 50 deles foram presos. E desde abril de 2011, quando a igreja foi obrigada a celebrar o seu culto ao ar livre, por falta de local, mil fiéis foram presos. A cada ano, o número de cristãos condenados à prisão perpétua ou mortos na prisão, incluindo bispos e muitos sacerdotes – equivale a milhares de pessoas.

Freira de 20 anos morta no incêndio de seu orfanato por hindus em Orissa
Em virtude do segundo mito, o de religiões asiáticas – hinduísmo e budismo – “convictamente pacíficas e tolerantes”, os crimes anti cristãos cometidos em terras budistas (Laos, Camboja, Vietnã, etc) ou hindus (os Estados da União Indiana dirigidos pelo partido nacionalista BJP) são ignoradas pelas boas cabeças da esquerda chique que pensam que o cristianismo é a pior das religiões. Ora, na Índia, os cristãos reprimidos por leis “anti proselitismo” são vistos como “traidores” da nação indiana hindu. Muitas vezes vindos da sub casta Dalit (os intocáveis), eles sofrem ataques dos extremistas hindus e dos partidos nacionalistas religiosos no poder em certos Estados. Assim, no estado de Orissa, mil cristãos foram mortos desde 2007; 50.000 Dalits fugiram de suas casas saqueadas pelos hindus, mas a maioria dos criminosos anti-cristãos escapou da justiça.

O Sheikh Abdul Aziz bin Abdullah al-Shaikh, principal figura religiosa da Arábia Saudita, decretou, em março de 2012, que todas as igrejas da região devem ser destruídas
O terceiro mito, o do “Islã uma religião de paz e tolerância” impede de dizer que os cristãos (assimilados aos “cruzados ocidentais”) sempre foram tratados como cidadãos de segunda classe ou bodes expiatórios, por vezes, alvo de genocídios (como na Turquia, Sudão, etc) .. Na Nigéria, o maior estado muçulmano na África negra, que conta com 50% de muçulmanos e outro tanto de cristãos, 11 Estados Federais do norte (de maioria muçulmana) impuseram a sharia para os cristãos. Como todos os anos, os cristãos temem ataques islâmicos durante a Missa da Meia Noite, como os que mataram 50 fiéis durante o Natal de 2011. No Norte do país, que afundou em uma guerra civil desde que os partidos islâmicos recusaram a vitória eleitoral do presidente nigeriano cristão Jonathan Goodluck, o movimento terrorista islâmico Boko Haram (que significa “proibir o Ocidente”) já matou mais de 3000 cristãos desde 2009. Em 2012, 450 cristãos foram mortos, incluindo 185 na cidade de Kano. No Paquistão, os cristãos, que compõem 1,5% da população, são verdadeiros sub cidadãos. O caso de Asia Bibi, a mãe de familia cristã condenada à morte por “blasfêmia” depois de beber em um poço “reservado aos muçulmanos,” é apenas um caso (midiatizado), entre tantos outros (não midiatizados). Na Arábia Saudita, grande aliada dos Estados Unidos, o Cristianismo é proibido. Uma fatwa do líder supremo do wahhabismo estipula que as igrejas devem ser destruídas na Península Arábica. Recentemente, 30 cristãos foram detidos na prisão de Briman (Jeddah) por ter celebrado um ofício em privado. De dentro de suas celas, eles imploram em vão a ajuda da Organização das Nações Unidas e das organizações de defesa dos direitos humanos. Na Síria, os cristãos são atacados por salafistas e pelo Exército Livre Sírio (SLA), apoiado pela Turquia. Aqueles que vivem na área de Latakia, Tartus, Tal Khalakh ou no “vale dos cristãos”, outrora oásis de paz, são expulsos de sua aldeia por jihadistas. No Egito, onde a Irmandade Muçulmana fez aprovar uma constituição baseada na sharia, os cristãos são designados como responsáveis pelas manifestações laicas hostis ao Presidente Morsi e à sharia. Em dezembro de 2012, um tribunal do Cairo condenou à morte sete cristãos coptas por seu envolvimento no filme anti-Islã que incendiou o mundo. Mas o jornalista que foi o primeiro a transmitir o filme em uma televisão egípcia, entretanto, nunca foi incomodado … Caso policial entre tantos outros, sob o pretexto de que a camisa de um muçulmano teria sido queimada por um cristão, o bairro cristão de Dahshura foi inteiramente queimado por islâmicos … No Iraque, a situação é ainda mais trágica: desde o retorno dos islâmicos em 2003, após a queda do regime laico de Saddam Hussein, restam apenas 300.000 cristãos (contra 1,2 milhões em 1980). E na Palestina, na cidade de Cristo, em Belém, os cristãos andam encolhidos para se dissimular.
A conclusão se impõe por si mesma: permanecendo em silêncio, os líderes ocidentais, que poderiam exigir seus “aliados” muçulmanos o mesmo tratamento para os cristãos que eles exigem para os muçulmanos no Ocidente, são de fato cúmplices de governos que perseguem ou matam cristãos.

15 de março de 2013

Familiares das vítimas da ditadura argentina contestam o novo papa

Hebe de Bonafini recorda que as mães sempre denunciaram o papel da igreja oficial argentina durante a ditadura. Foto javi/Flickr


 Pouco depois do anúncio do novo Papa Francisco, fizeram-se ouvir as vozes dos familiares das vítimas da ditadura que reprimiu os argentinos entre 1976 e 1983. Graciela Yorio, irmã de um dos sacerdotes jesuítas sequestrado e torturado pela ditadura, não escondeu a indignação e repetiu a denúncia de que Bergoglio é o “autor moral" do sequestro do seu irmão, o sacerdote jesuíta Orlando Yorio. Ele foi raptado e torturado juntamente com outro jesuíta, Francisco Jalics, durante cinco meses num dos principais centros de tortura do regime de Videla, situado na Escola de Mecânica da Marinha.
O novo papa Francisco era o superior direto de Orlando, conta a irmã ao jornal "O Globo", acusando-o de não o ter protegido. "Como o meu irmão e Francisco Jalics não seguiram os conselhos de deixar de viver numa favela, foram expulsos da congregação pelas pressões da ditadura, que achava que eram subversivos, e posteriormente presos". Os dois sobreviveram às torturas e partiram para o exílio depois de libertados.
Graciela recordou ainda a visita de Bergoglio à família logo após o sequestro: "Ele disse-nos que sobre Orlando não se falava mais, dando a entender que ele estava morto. Ficámos com a sensação de que ele os entregou. Quando o meu irmão e Francisco foram soltos, telefonaram para Bergoglio e ele disse-lhes que não podia ajudá-los", conta Graciela, que pretendia apresentar no tribunal de Buenos Aires novas testemunhas para a descoberta da verdade. Mas com a notícia da escola de Bergoglio para papa, "estamos destruídos, o processo não poderá mais avançar", lamenta.
"Agora que é Papa, tem de nos dizer onde estão as crianças roubadas"
Outra voz que se levanta a exigir justiça é a de Elena de la Cuadra, que há 35 anos procura a sua sobrinha nascida em cima da mesa de uma esquadra de polícia e imediatamente levada para parte incerta. "A Igreja Católica escolheu uma pessoa que para nós, familiares de vítimas da repressão exercida pelos militares, foi cúmplice de um governo genocida”, acusa.
 
A sua irmã Elena tinha sido raptada quando estava grávida de cinco meses e a família pediu pessoalmente ajuda a Bergoglio. “Ele escreveu uma carta pedindo a outros membros da Igreja que nos ajudassem, mas foi inútil. Terminaram dizendo-nos que a situação era irreversível, que Ana, a minha sobrinha nascida numa esquadra, estava com uma boa família, que cuidaria muito dela”.
Este foi um dos casos julgados e condenados pela justiça argentina, mas a família já tinha ficado indignada com o arcebispo de Buenos Aires quando ele veio dizer que só tinha tido conhecimento dos bebés roubados há pouco tempo. "Isso é mentira, porque ele, pessoalmente, nos recebeu durante a ditadura", lembra Estela, sublinhando que “muitos dos bebés eram distribuídos pelo Movimento de Famílias Cristãs, fortemente vinculado à Igreja”. Por isso, Estela defende que "agora que é Papa, Bergoglio tem a obrigação de nos dizer onde estão as crianças roubadas".
Mães de Praça de Maio: "Só nos relacionamos com sacerdotes do terceiro mundo"
Em comunicado, a presidente da Associação Mães da Praça de Maio, atualmente em visita a Itália, também reagiu ao anúncio de Bergoglio para papa. "Desde o momento em que iniciámos a nossa luta, só nos relacionámos com sacerdotes do terceiro mundo. Fizemos uma lista de 150 sacerdotes assassinados pela ditadura, que a Igreja oficial silenciou, sem nunca os ter reclamado", afirma Hebe de Bonafini.
"As Mães falaram da igreja oficial quando mais ninguém falava. A igreja oficial é opressora, mas a do terceiro mundo é libertadora", prossegue a líder histórica do movimento de mães que perderam o rasto aos filhos raptados e entregues em segredo a militares, polícias e políticos do círculo da ditadura de Videla. "Continuamos a ter relação apenas com os sacerdotes do Terceiro Mundo e sobre este Papa que ontem nomearam só temos isto para dizer: Amen", conclui a nota divulgada no site da Associação das Mães da Praça de Maio.
Comentário pessoal: Algumas visões mais extremas figuram a Companhia de Jesus como o cérebro-motor do refinamento da máquina de medo em que se teria tornado a Inquisição moderna, imputando aos Jesuítas a responsabilidade de terem sido os mentores das mais desumanas definições regimentais do tribunal da inquisição. Estes padres eram conhecidos como os “padres negros” e teriam estendido a sua teia de medo e de opressão sobre o reino e império ultramarino, em especial India e Brasil. Eles fizeram definhar em lume brando, isto é, paulatinamente, todas as forças vitais e criativas da nação portuguesa. Os judeus foram destruídos e os seus bens passaram a ser património da igreja, os ricos e nobres sobre eles era lançada a suspeita de pertencerem ou simpatizarem com os “protestantes” e assim, mulheres e homens, velhos e crianças exterminados e os bens património da ordem dos jesuítas.
Atrás da capa da humildade, era o diabo que habitava. Não será assim, agora. Cremos acreditar que as “Mães de Praça de Maio” na Argentina, terão suspeitas infundadas.
 
José Carlos Costa

'Efeito Ratzinger' elegeu Bergoglio papa, dizem jornais italianos

A curta e "sincera" intervenção de Bergoglio na Congregação do Colégio dos Cardeais, uma semana antes do conclave, em que "falou sobre o rosto da misericórdia de Deus", teria "particularmente impressionado os cardeais".
E, no momento em que a mídia focava seus holofotes sobre o italiano Angelo Scola, o canadense Marc Ouellet e o brasileiro Odilo Scherer, vários cardeias de diferentes continentes, como África e Ásia e mesmo alguns ligados à Cúria italiana, "já tinham decidido votar nele".
 
O nome de Bergoglio já teria aparecido com consistência na primeira votação, na terça-feira.
A partir daí, quando se viu que o nome de Angelo Scola, o candidato que vinha sendo apontado como favorito pela mídia principal, não apresentava "a consistência esperada", Bergoglio foi beneficiado pelo que o jornalista chama de "efeito Ratzinger".
 
A exemplo do que ocorrera no conclave de 2005, a cada rodada, o cardeal argentino foi levando os votos daqueles que viam que seu candidato estava fora do páreo. "Ele levou os votos que estavam indo para Ouellet, Scherer e, finalmente, Scola", diz o artigo.
Em outro jornal, o Corriere della Serra, a vaticanista Antonietta Calabrò diz que, na quinta e derradeira rodada do conclave, Bergoglio teria levado "mais de 90" dos 115 votos.
 
Ela diz que a escolha de Bergoglio seria resultado de um acordo entre os homens da Cúria, citando, especificamente, o decano do Colégio dos Cardeais, Angelo Sodano (que não participou do conclave) e os cardeais Giovanni Battista Re e Tarcisio Bertone, e os cardeais americanos, para que estes tivessem, "finalmente, o papa das Américas".
Nota pessoal: Afinal a nossa exposição estava certa veja.
José Carlos Costa

14 de março de 2013

Francisco I Promove Plano para Deixar de Fumar

 


"Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos?" 1ª Coríntios 6:19

Esta foto foi tirada num dos momentos de pausa/reflexão. Pobre gente!







13 de março de 2013

Francisco I e o Poder de Bento XVI


É o Cardeal Jorge Bergoglio, de Buenos Aires e adotou o nome de Francisco I.
 
Aqui e agora, convém fazer uma retrospectiva sobre a perplexidade da renuncia do Papa Bento XVI. A perplexidade rapidamente foi –se transformando em preocupação, uma vez que não se via na possível lista de sucessores algum cardeal que estivesse à altura da obra que era executada por Bento XVI.
Em primeiro lugar, aproveitemos este período, conhecido que foi esta tarde, dia 13-03-2013 o anúncio do novo Papa o Cardeal Bergoglio, de Buenos Aires, para reflectir nas razões, além daquelas que são públicas, da resignação de Bento VVI.
Apesar de se poderem fazer críticas ao pontificado,  especialmente no que se refere às nomeações para cargos da Cúria Romana, não restam dúvidas de que o agora Papa Onorable estava a reconduzir o Navio da Igreja às duas colunas, da eucaristia e da devoção a Maria, de que Dom Bosco fala em seu sonho sobre a batalha no mar.
A promulgação do Motu Proprio Summorum Pontificum, restaurando a Missa de São Pio V em todo o mundo, é prova incontestável deste trabalho. Tivemos ainda a informação, de várias fontes, de que o Papa enviou para a apreciação de muitos bispos a proposta de um novo dogma mariano.
Em relação ao Concílio Vaticano II, apesar de insistir na chamada “hermenêutica da continuidade”, tendo em vista algumas claras contradições entre os textos do Concílio com os do Magistério anterior,  Bento XVI acabou por criar um clima de questionamento dos textos conciliares, que até então era considerado um “super-dogma”. Neste sentido, é sintomática a recente declaração de Dom Demétrio Valetini publicada na Radio Vaticana.
“Ao mesmo tempo, este ano [da Fé] nos deixa com uma clara inquietação: o processo eclesial em andamento, ele favorece a aplicação do Concílio, ou conspira contra as suas intenções fundamentais? (…) Em outras palavras, estamos avançando, ou retrocedendo, na aplicação do Vaticano II? Algumas iniciativas dão a clara impressão de marcha à ré. (…) Também a marcha à ré, cuja utilização às vezes

10 de março de 2013

O SALTO NO VAZIO


Suicídio de assessor amplifica escândalo de banco italiano
O assessor de imprensa do banco italiano Monte dei Paschi di Siena, que está sob investigação por suspeitas de corrupção, suicidou-se ao saltar da janela do seu escritório na sede da instituição.
A casa de David Rossi, 51 anos, tinha sido revistada pela polícia há poucos dias, no âmbito da investigação a operações de alto risco do banco. Estas provocaram perdas milionárias entre 2006 e 2009, mas foram ocultadas na contabilidade.
Embora não fosse, pelo menos por enquanto, considerado arguido, Rossi terá saltado para o pátio interior do banco, sedeado numa fortaleza medieval.
A imprensa local refere que deixou uma nota escrita em que apenas diz: "Cometi uma loucura".
O Monte dei Paschi di Siena é o terceiro maior banco de Itália e o mais antigo do mundo, pois foi fundado em 1472. A instituição anunciou, no mês passado, perdas de 730 milhões de euros devido a operações com produtos derivados entre 2006 e 2009.
As operações em questão foram efetuadas com o banco americano J.P. Morgan (151 milhões de perdas em 2006), o alemão Deusche Bank (305 milhões em 2008) e o banco japonês Nomura (273 milhões em 2009).
Estas perdas somam-se aos prejuízos da atividade corrente do banco, que rondarão 2000 milhões de euros em 2012.
A justiça italiana está a investigar as anteriores administrações e o negócio da compra, em 2007, do Antonveneta ao Banco Santander por 9000 milhões de euros, dois meses depois de o banco espanhol o ter comprado por 6000 milhões.
Os rumores do escândalo rebentaram no início deste ano, com notícias de apoios milionários do governo italiano para tentar garantir a viabilidade do banco, historicamente relacionado com a esquerda italiana.
Comentário pessoal: Porque é que o nosso mundo está a ruir? As respostas podem ser tantas como as cerejas caídas do cerejal em consequência de terrível temporal. Sabia-se que este banco, o mais antigo do mundo, estava há anos em recessão e tinha arrastado a Itália para o caos económico.
O problema não é o banco Monte dei Paschi di Siena, igual a esta situação temos Portugal, Grécia, Espanha e poderíamos continuar a rasgar aos bancos de todos os países por exemplo os “Cavaleiros da Banca” (Bank of America, JP Morgan Chase, Citigroup e Wells Fargo) são também os “Cavaleiros do Petróleo” (Exxon Mobil, Royal Dutch/Shell, BP e Chevron Texaco). O pior, é que o seu monopólio sobre a economia global não se esgota no negócio do petróleo. Só para se ter uma ideia, 80% do Federal Reserve Bank de Nova Iorque (FED) estão na posse de apenas oito famílias. São elas: os Goldman Sachs, os Rockefellers, os Lehmans e os Kuhn Loebs, todas de Nova Iorque, os Rothschilds, de Paris e de Londres; os Warburgs, de Hamburgo; os Lazards, de Paris; e os Israel Moses Seifs, supostamente de Roma.
Há 10 bancos a controlar os doze ramos do Federal Reserve Bank: o Rothschild, de Londres, o Rothschild Bank, de Berlim, o Warburg Bank, de Hamburgo, o Warburg Bank, de Amesterdão, o Lehman Brothers, de Nova Iorque, o Lazard Brothers, de Paris, o Kuhn Loeb Bank, de Nova Iorque, o Israel Moses Seif Bank, de Itália, o Goldman Sachs, de Nova Iorque e o JP Morgan Chase Bank, de Nova Iorque.


O controlo que estas famílias de banqueiros exercem sobre a economia global não pode ser subestimada e é intencionalmente um segredo bem guardado. Agora que em Portugal se investiga um alegado cartel bancário, é bom saber-se que estes poderosos são rápidos a desacreditar qualquer informação que divulgue a sua existência, dizendo logo que se trata de uma teoria da conspiração.
O problema, repito, não são os bancos, são as pessoas que enctraram em colapso moral, intelectual e outros “al”. Faltam os valores, a vergonha, o pudor a ambição domina a mente, coração e corrói a alma. Porque fugiram de Deus! Estas histórias não são novas, é a história da humanidade que foge de Deus. Foi e será sempre assim! Mas terá um Fim, aliás, isto já são rumores do fim.
José Carlos Costa

8 de março de 2013

Deco deteta medicamentos proibidos na carne de cavalo


A Associação Portuguesa para a Defesa dos Consumidores (Deco) precisa que o "anti-inflamatório fenilbutazona foi detetado nas amostras de hambúrguer Auchan e nas almôndegas Polegar, que, numa primeira análise, tinham acusado presença de ADN de cavalo".
A presença destes medicamentos na carne para consumo humano é ilegal, refere a Deco.
Segundo a informação recolhida, os lotes destes produtos não se encontram, na presente data, à venda. Os resultados da análise laboratorial efetuada pela Deco vão ser divulgados ao sistema de alerta rápido da União Europeia.
 
Embora a concentração de anti-inflamatórios encontrada nas amostras seja de ordem do micrograma, e "não represente um perigo imediato", para a saúde humana, indicia, segundo os técnicos da associação, uma situação de "risco potencial".
Comentário pessoal: Pensávamos que uma das coisas em que podíamos estar descansados era a alimentação e isto graças às técnicas avançadas de avaliação. Admitia-se que em Portugal, um ou outro serviço hoteleiros não fosse tão cuidadoso, até porque, nos últimos anos a ASAE tinha descoberto carne em estado de decomposição. Agora, a Nestlé? A Suíça? A história “do prado ao prato”, já não é mais confiável.
Talvez, digo eu, Deus permita estas situações de crise económica e social para voltarmos onde deveríamos de estar há muito tempo. No campo!
“A carne nunca foi o melhor alimento; seu uso agora é, todavia, duplamente objetável, visto as doenças nos animais estarem crescendo com tanta rapidez. Os que comem alimentos cárneos mal sabem o que estão ingerindo. Frequentemente, se pudessem ver os animais ainda vivos, e saber que espécie de carne estão comendo, iriam repelir enojados. O povo come continuamente carne cheia de micróbios de tuberculose e câncer. Assim são comunicadas essas e outras doenças.” A Ciência do Bom Viver, p. 313
Pergunta: Se não deveríamos comer carne “visto as doenças nos animais estarem crescendo com tanta rapidez.” Que dizer de carne manipulada?
José Carlos Costa